Sem Coração

Love Is Dead /Kerli

Quisera eu ter nascido sem coração…
Não traria vazio ao peito,
Seria livre de qualquer decepção!
E assim, quem sabe, haveria algum jeito.

Um jeito de não sofrer, de não amar
Um jeito de não sentir, de evitar
Evitar toda a dor que causa o coração
Seria mais cômodo, não haveria mais paixão

Mas nasci com um órgão que só me traz sofrimento
Que massacra com sua dor qualquer outra dor
Que tenta passar longe, mas sempre acaba dentro
Perdido naquele sentimento que se chama amor

Tudo o que tive está destruído
Quebrou-se em milhões de pedaços
Perdeu-se num lugar desconhecido
Alguém pode me salvar, e juntar os meus cacos?

Cometi o mesmo erro novamente
Perdi minha total noção
Amei enlouquecidamente
E acabei aqui nesse oceano de confusão

Dê-me razão, mas não me dê escolha
Ou eu destruirei todo o resto de mim.
Será que existe alguém nesse mundo
Que pode completar meu vazio sem fim?

•(L. Diamond)

Anúncios

Ouça seu coração!

Siga apenas as regras que seu coração criou. Viva como se fosse tudo acabar amanhã. Renasça todos os dias com algo novo; vontades diferentes, objetivos diferentes, perspectivas diferentes.
Busque o melhor dentro de você.
Escolha a música mais agitada e… DANCE!
Dance como se não houvesse ninguém, como se fosse só você e a música! Apenas dance. Seja único.
Não acredite quando disserem que você é incapaz, só você é ciente de seus limites.
Acorde todos os dias olhando para o céu e agradeça!
Agradeça por estar vivo! E não se esqueça do mais importante…

Ouça seu coração!

(L. Diamond)

Flores e Planos

Rosas vermelhas, copos-de-leite brancos e girassóis – não, jura?! – amarelos, são os meus preferidos. Esse meu gosto por natureza vem desde que eu era pequena. Embora eu tenha muito medo de subir em árvores, – tipo um gato escaldado – eu gosto muito de salgueiros. Um dia terei um no quintal da minha futura casa, e no lugar de uma piscina, um pequeno lago com alguns tipos de peixes. Um jardim imenso com rosas, copos-de-leite e girassóis farão a beleza do exterior da minha humilde casinha. Nada de “apertamento”, eu quero é espaço pros meus filhos e pro meu futuro cachorrinho brincarem. Quero grama, apesar de não ser lá muito comum por aqui, eu quero grama! Quero uma casinha pintada de azul claro, com um telhado branquinho como neve… Tudo bem, pode ser complicado manter um telhado branco em branco e paredes azuis claras, azuis claras… Então eu quero uma casinha de tijolos com um lindo telhado de barro, – inclusive, quero que saibam que eu quero um forro, pro caso de chover, para não gotejar dentro de casa.

Ah! Dentro de casa! Chegamos a uma das minhas partes favoritas do meu plano! A parte interior da minha casa-sonho. Quando entrarem na minha casa, quero que dêem de cara com uma saleta só de quadros, com uma pequena mesa de centro com tampo de mosaico colorido e duas poltronas em tons pastel, de preferência bege ou azul-bebê (sim, adoro azul!). Passando pela saleta aconchegante, irão adentrar à sala, e lá verão uma TV média – não preciso de muito – e um jogo de sofá brancos. Depois da sala, vamos cozinhar! Er… Só olhar, né?! Minha cozinha será toda branca. Os azulejos, a pia, os armários, os objetos, tudo, inclusive geladeira e fogão. Os quartos são uma parte mais difícil de descrever, porque eu ainda não decidi como os quero…

Depois de tudo montadinho, irei, enfim, morar na minha tão sonhada casa… E serei feliz. Sim, serei muito feliz. E poderei, enfim, fazer tudo o que eu gostaria de fazer, sem limites de sonhar, sem necessitar da “permissão” de um ou de outro, porque…a casa será única, exclusiva e somente MINHA.

Depois que tudo estiver resolvido, depois que eu já estiver alojada no meu pedacinho de sonho, quem sabe eu não encontre a tampa da minha panela? Ser uma frigideira feliz pode não ser tão feliz quanto parece…

Deixemos que o futuro tome conta, porque só a Deus ele pertence.

“O futuro pertence àqueles que acreditam na beleza dos seus sonhos.”
(Eleanor Roosevelt)

Sex On The Beach

Amorzinho na Praia

Carnaval, festa, pegação…e eu com um gatinho que tinha secado o verão inteiro. Não sei se por falta de opção, mas aquele que não tinha sequer olhado pra mim durante toda minha estada na praia, de repente me viu como a musa do verão.

Fim de festa, hora de preparar o corpo, e a querida… para o nosso “segundo tempo”.

Na praia tudo é clima de romance. Foi então que “ele” teve uma “brilhante” idéia…sinceramente, hoje não consigo saber de qual das duas cabeças saiu. Logo após ler o texto, vocês entenderão…

Para ser mais sincera, ainda hoje me pego pensando se ele queria ser romântico ou apenas economizar no motel. Sabe como é, quando não se tem muita verba, se aluga uma casa de veraneio com outros 357 amigos e quando surge uma oportunidade de dar “umazinha”, o jeito é se virar!

Entre beijos, abraços e provocações caminhamos – sim, caminhamos! – até a praia mais próxima.

Corpos em combustão, e aquele cenário magnífico era o somatório perfeito para tornar aquela noite em INESQUECÍVEL…e de fato, foi!

Quando a gente é jovem,  e tem a estranha mania de assistir filmes de romance – isso vale para as gurias – e mesmo as cenas dos casais apaixonados na novela, idealizamos aquilo acontecendo em nossas vidas, e por um dado momento, esquecemos como as vezes pode ser “difícil” executar as ações.

Caminhamos pela beira da praia, por um tempo que mais me pareceu horas. E eu, pacientemente não fiz objeção. Estava curiosa e não estava entendendo onde ele queria chegar mantive minha santa boquinha fechada . Ao encontrarmos uma casinha de salva vidas, ele imediatamente subiu correndo as escadas, me deixando pra trás. Mais uma vez a demonstração de preocupação de um macho de nossa espécie. Enfim, sorte a minha, pois ele foi quase que literalmente “corrido” de lá por um casal que chegara antes ao ninho de amor.

Seguimos então nossa silenciosa caminhada. Beijos no pescoço, mordidas na nuca e eu apenas me rendia às vontades dele.

Ele então me convida para sentar na areia. Dei uma boa olhada e pela cara que fiz, ele percebeu que eu ofereceria resistência, afinal – santa ingenuidade – eu não queria me sujar.

Retirou então a camisa, como um perfeito cavalheiro. Dizem que isso acontece quando o que está em jogo é a satisfação sexual de um dos parceiros…sendo mais crua, os homens são gentis quando querem te “comer”.

Sentei-me delicadamente, cuidando os movimentos e após algum tempo – sendo otimista, não passou de cinco minutos – ele já estava forçando meu corpo a se deitar na areia. Talvez o elevado  teor de álcool no meu sangue, somado às cenas românticas que hora passavam em minha mente, me rendi. Eu sei, tudo não passa de desculpas…

No auge da pegação, nos despimos. Tudo estava perfeito…o barulho das ondas, o céu estrelado…até o momento de eu colocar minha bundinha na areia gelada e levemente úmida. Mas na verdade, no calor da coisa tu nem pensa muito nisso não…fodemos a noite toda, sob o céu estrelado. Foi lindo…até a manhã seguinte eu me levantar e perceber que algo  estava errado com meu corpo.

Se existisse balança na praia, eu diria que estava uns 5kg mais pesada. A areia em meu corpo era tanta, que mesmo nua, eu parecia vestida.

Uma batidinha aqui, uma assoprada lá e eu achei que tivesse removido toda – ou boa parte – da areia do meu corpo. Foi então na hora de ir embora que senti que meu problema estava apenas começando. Um comichão diferente, em partes do corpo que prefiro não mencionar, e em questão de minutos, estava toda vermelha.

Não sei bem ao certo se a areia, ou a sujeira dela estavam agindo sobre os meus poros, o que sei é que coçava, e quando coçava, ardia. Acho que não preciso mencionar que minha querida ficou parecendo uma rosa – é eu não ia mencionar, mas gosto de compartilhar meus momentos com as pessoas, não sou do tipo egoísta. Me apavorei, ela depiladinha – sim, eu tinha me preparado pra noite fantástica passando por aquela tortura com a minha depiladora Bernadete – estava vermelha e inchada! Doía que era o diabo!

Isso porque, para minha sorte e contensão do meu desespero, não pude ver o estado do meu “butt”. Ele também doía. Não reclamei em momento algum. Tinha a impressão que se peidasse sairia areia, e se cagasse, sairia uma duna!

Dessa experiência, ficou dentro de mim, tinha uma quantidade tão absurda de areia, que se recolhessem tudo, poderia fazer um campo de futebol de areia e ainda sobrava pra um castelinho…por isso, gurias, pensem bem antes de realizar as fantasias. Nada como uma boa, macia e quentinha cama de motel.

(by Haby)