Closer

The Closer I Get To You – Beyoncé ft. Luther Vandross

Quanto mais perto chego de você
Quanto mais você me faz ver
Ao me dar tudo que você começou (me diga mais)
Seu amor me capturou

E então estavam apenas os dois naquela sala espaçosa. À meia luz, ela podia ver os olhos castanhos dele, fitando-a com certo constrangimento. Sorriu e estendeu-lhe a mão, dando consentimento para que ele chegasse mais perto. Ele segurou em sua mão e, docemente, guiou-a ao seu abraço, envolveu-a pela cintura e ela o envolveu pelo pescoço. Ela, com um vestido preto à altura dos joelhos e salto, por ele ser mais alto. Ele com os cabelos cacheados soltos e úmidos de banho recém-tomado, seu perfume doce envolvia-se em seu pijama de cetim azul escuro. Ela estremeceu ao senti-lo suave. Ele estremeceu ao perceber o tremor dela.
– Está com frio? – perguntou ele timidamente, envolvendo-a, no mesmo instante, num abraço caloroso.

Uma e outra vez
Tentei dizer a mim mesmo que nós
Nunca poderia ser mais que amigos
Mas o tempo todo, por dentro, eu sabia que era real
O jeito que você me faz sentir…

O calor da pele dele era perigoso…muito perigoso para ela. Aquele calor era como fogo: aquecia, mas podia queimá-la de súbito se ela se descuidasse por um segundo que fosse. Ele segurou, com sua grande mão, na mão dela e a guiou para um lado e para o outro, lentamente, no ritmo da canção que cobria a sala.
Ela estava extremamente linda essa noite… Radiante! Ele se controlava, não sabia o que era certo ou errado, mas sabia que não deveria avançar mais um passo. Ela sorriu ao ver a expressão concentrada dele e ele riu baixinho ao perceber que ela sorria. Ah…o sorriso dela! O sorriso dela desarmaria mil homens e desativaria um milhão de bombas! Era o sorriso mais lindo que ele já vira no mundo…e, realmente, ele viajou o mundo. Conheceu muitos sorrisos, mas nenhum se igualava àquele.

Aqui perto de você
O tempo parece voar
Preciso de você mais (mais e mais)
Vamos dar uma chance ao amor

Ele sorriu novamente e passou uma das mãos pelo rosto dela, acariciou seu pescoço e, sem controlar-se mais, respirou o suave perfume dela.
– P-posso te dar um…beijo…? – sussurrou a pergunta perto do ouvido dela, que se arrepiou e fechou os olhos.
– Deve. – ela sussurrou de volta e ele fechou seus olhos.
Suavemente, ele encostou os lábios no pequeno espaço entre a mandíbula e o pescoço dela. Ali depositou um beijo leve, porém tão quente quanto sua pele. Ela estremeceu e suas pernas bambearam, ela estava prestes a cair. Ele a segurou pela cintura e encaixou seu corpo com firmeza no dela.

Doce e doce o amor cresce
E o céu está lá para aqueles
Que enganam os truques do tempo
Com o coração de amor vai encontrar
O amor verdadeiro de uma maneira especial

Seus lábios agora estavam a centímetros de distância um do outro. Ela embrenhou os dedos nos cabelos dele e fechou os olhos devagar, como se estivesse pedindo que ele a beijasse, e assim ele o fez. Colou os lábios ao dela com tanta delicadeza, sua boca parecia feita de seda, tão macia e deliciosa. Lentamente, ele foi abrindo espaço entre os lábios dela, até que não encontrou mais resistência e, com certa força, colocou sua língua dentro da boca dela. Ela soltou um gemido baixo e um suspiro de alívio foi soltado pelos dois, simultaneamente. Ele estava aliviado por poder senti-la daquela maneira e ela estava aliviada por não mais esconder o que sentia dentro de seu coração.
A pequena brasa anterior foi se aquecendo de tal forma que eles não mais podiam se segurar. Sozinhos naquela casa enorme, eles poderiam concluir o breve encontro. Há anos não se viam, anos estes que pareciam séculos. Torturantes séculos de solidão e vazio.

Quanto mais perto chego de você
Quanto mais você me faz ver
Ao me dar tudo que você começou (me diga mais)
Seu amor me capturou

Ele a envolveu pela cintura e a puxou um pouco para cima, ela envolveu as pernas na cintura dele e, assim, beijando-se, eles foram subindo as escadas que iam para o quarto. Pararam no corredor. Ele a encostou contra a parede e colou seus lábios no pescoço dela. Ofegando, ele conseguiu liberar algumas palavras, quase inaudíveis.
– Porque faz isso comigo, menina? Sabe que não posso… – murmura ele entristecido, o choro preso na garganta.
– O que te impede? – ela questiona, fazendo-o olhar no fundo de seus olhos.
– Nada… Menina, isso não é certo! É loucura! – os olhos dele estavam torturados, lacrimejavam de angústia.
Ela, diante do visível desespero dele, segurou seu rosto com as duas mãos e tomou a atenção dele para si.
– O que é certo…? O que não é louco…? – perguntou e depois sorriu. – Quando você encontrar o remédio que cure ou previna isso…avise-me. – continuou ela, sem tirar o sorriso do rosto.
– Não…não sorria pra mim. Não fale comigo desse jeito… Por favor. – ele encosta a cabeça no peito semi desnudo dela e chora.

Uma e outra vez
Tentei dizer a mim mesmo que nós
Nunca poderia ser mais que amigos
Mas o tempo todo, por dentro, eu sabia que era real
O jeito que você me faz sentir…

Ela já não tem o que dizer. Usara de todos seus argumentos e manhas para conquistá-lo, mas ele…ele já estava conquistado por ela! Era esse o grande problema. Maldita diferença de idade, maldita distância, maldita timidez! Tudo isso, cada impedimento, cada obstáculo, ficava maior a cada minuto para eles. Tudo contribuía para que desse errado aquele romance…que mal chegou a se tornar um romance.
– Hey…olhe pra mim. – pediu ela levantando o rosto dele com a ponta dos dedos. – Eu…eu tenho medo…não pense que não tenho. Não pense que irei brincar com você, ou com os seus sentimentos. Eu amo…você. – ela termina a frase num sussurro e ele finalmente sorri.
– Eu… O que eu vou fazer agora é uma loucura… Mas… Eu quero te pedir uma coisa. – fala ele decidido, já centrando seus olhos nos dela.
– Peça… – ela sorriu e ele abaixou a cabeça e mordeu o lábio.
Soltou-a devagar e segurou o rosto dela. Ela parecia tão pequena e frágil dentro daquele corpo de mulher… E aquele olhar…aquele olhar de menina crescida, pronta pra viver a vida da melhor maneira possível.
– Como eu disse…vou fazer uma loucura. – sussurrou ele se aproximando dela e a beijando com ternura.
Colocou a mão dentro do bolso e de lá tirou um pequeno anel de brilhantes. Pequeno o suficiente pra caber no dedo dela. Ela entreabriu os lábios e seus olhos encheram-se de lágrimas, mas desta vez, lágrimas de alegria.
– Você…você aceita se casar comigo? – ele perguntou com o sorriso mais tímido, porém mais lindo do mundo.
– E-eu…eu não sei o que dizer… – ela olhou-o nos olhos e pôde sentir novamente o fogo da paixão percorrendo seu corpo.
Era sim, aquele fogo. Não o fogo do desejo, não… Era o fogo do amor. Ele a olhou, ainda sorrindo, levemente corado e então ela teve certeza do que queria agora e sempre. Sorriu pra ele, aquele sorriso que só ela sabia dar.
– Eu aceito.

O jeito que você me faz sentir…

Fim.

2 thoughts on “Closer

  1. Bom, tu bem sabes que não deixarei de te acompanhar…que a sua inspiração seja eterna e gere textos tão incríveis quando os que tu me apresentou até hoje.

    Lov U Sis

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s